Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Artigos

  02/04/2018 
DOM EDSON DE CASTRO HOMEM - BISPO DE IGUATU

INDÍCIO OU ALGO MAIS?

O anúncio pascal começa em torno do sepulcro: “Vós procurais Jesus de Nazaré, que foi crucificado?  Ele ressuscitou. Não está aqui. Vede o lugar onde o puseram “ (Mc 16, 6-7).  A Liturgia Pascal atualiza a surpreendente e não repetível experiência dos primeiros. Proclama a Palavra que expõe a surpresa ou a perplexidade diante do túmulo aberto e vazio.

Na missa da vigília pascal, percorremos com o evangelista o itinerário das mulheres, portadoras dos perfumes, Maria Madalena e Maria, a mãe de Tiago, e Salomé, que foram ao túmulo ao nascer do sol, para ungir o corpo do Senhor (Mc 16, 1-2).

Ao contrário da narrativa da morte, em que a natureza participara com a presença das trevas que envolviam toda a terra (15, 33), o anúncio da ressurreição faz referência à chegada da luz: é madrugada, o sol nasce (v. 2). O próprio sepulcro vazio indica o anúncio do anjo a comunicar a notícia:  “Ele vos precede na Galileia. Lá o vereis, como havia dito” (v. 7). É observação comum, atentar para a importância do reencontro na Galileia onde tudo começou. De fato, a Galileia é o lugar do primeiro anúncio do Reino. Lá haveria de ter início também a experiência comunitária eclesial.

As mulheres comunicarão o encontro do Senhor a seus discípulos e, especialmente, a Pedro, em destaque (v. 7). Do túmulo à aparição, eis o percurso da fé. Da Páscoa ao início da vida pública, na Galileia, eis o itinerário da nova assembleia convocada.  Ele a antecede, pessoalmente e mediante a Palavra, de acordo com o acento: “como vos disse” (v. 7). A partir de então, o núcleo da Igreja, historicamente fundada, antecede qualquer comunidade posterior.

 No domingo da Páscoa, retornamos ao sepulcro. Ao contrário de Marcos, a narrativa joanina privilegia apenas Maria Madalena. É bem cedo. Diferentemente, não há a luz da madrugada, mas “ainda estava escuro”. Ela, ao ver a pedra fora do sepulcro, corre a Pedro e ao discípulo amado (Jo 20, 1-2). Comunica-lhes, apesar da escuridão, que o túmulo está vazio. Interpreta levada pelo senso comum: “tiraram o Senhor e não sabemos onde o puseram”. Inicia-se, imediatamente, a corrida de Pedro e do outro discípulo.  Este chega primeiro e não entra. Pedro é quem entra. Enxerga no chão as faixas e o sudário que cobrira a face de Jesus, dobrado à parte num canto (v. 2-7). A observação sugere que Jesus ao levantar-se arrumara com cuidado os panos e o sudário, antes de sair do túmulo. Assim sendo, o sepulcro não teria sido violado nem o corpo roubado. Quando o discípulo amado entra: “viu e acreditou” (v. 8). Foi além do indício.

É comum afirmar que Pedro representa a dimensão hierárquica da Igreja enquanto o discípulo amado a carismática e mística. Por isso, o discípulo amado dá lugar a Pedro para que entre e constate. Porém, o discípulo amado é quem vê e acredita, mesmo sem ter visto Jesus aparecido. Vê além dos panos. Ao contrário de Tomé, necessitado de ver e de tocar.      

No itinerário dos primeiros, o sepulcro, embora seja inicialmente simples indício, possui algo mais ao estar vazio. Ali repousara o Senhor, solidário à nossa condição humana até a morte, à espera da ressurreição. Tornou-se espécie de antigo “relicário” motivador da peregrinação dos primeiros cristãos e da Igreja inteira. Itinerário dos passos dos discípulos e das santas mulheres, desde a manhã do “primeiro dia da semana” (v. 1), hoje e até o fim, ao encontro do Vivente.

Após as aparições, cessam as perguntas sobre o túmulo aberto. A aparição do Ressuscitado se impõe como resposta. O anúncio deixa de ser promessa e se torna realização. A assembleia cristã, onde e quando se reunir, reconhece-se em torno de Jesus, vivo, presente e vencedor.

Última atualização: 02/04/2018 às 08:13:21
 
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Comente este artigo

Nome:
Nome é necessário.
E-mail:
E-mail é necessário.E-mail inválido.
Comentário:
Comentário é necessário.Máximo de 500 caracteres.
código captcha
Código necessário.
 

Comentários

Seja o primeiro a comentar.
Basta preencher o formulário acima.

Rua Felino Barroso, 405 -  Bairro de Fátima  •  CEP: 60050-130  •  Fortaleza - CE
Caixa Postal 126 / 60001-970  •  Fone/Fax: (85) 3252-4046

  www.igenio.com.br