Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Artigos

  18/04/2017 
JORNALISTA PATRíCIA SILVA - DIOCESE DE CRATO

O sentido do Círio Pascal

Sabe aquela vela grande que encontramos acesa ao lado do altar durante as celebrações dos cinquenta dias do Tempo da Páscoa? Ela é o Círio Pascal, um dos símbolos mais importantes deste tempo litúrgico, pois representa o Cristo Ressuscitado. A morte não venceu. Cristo nos oferece vida nova. O túmulo está vazio. Isso tudo é vivenciado durante a celebração da vigília pascal que deve acontecer hoje, dia 15, à noite em sua paróquia. Nela o círio é aceso pela primeira vez.

Para você entender melhor qual o sentido do Círio Pascal na liturgia da Igreja vamos iniciar falando de sua morfologia. A palavra círio, quer dizer “cera”, ou seja, círio pascal: cera da páscoa. Esta vela, que é maior do que as que costumeiramente acendemos, traz as marcas do ano em curso, afirmando que Jesus é o Senhor do tempo e da história, os cravos, que simbolizam as chagas de Jesus na cruz (Ele está ressuscitado, mas traz consigo as marcas da cruz), o alfa e o ômega (letras do alfabeto grego, o nosso A e Z), para dizer que Jesus é o princípio e o fim.

“O Círio Pascal é o verdadeiro símbolo litúrgico para representar o Cristo ressuscitado. Algumas comunidades apresentam a imagem do Senhor ressuscitado, mas fazem isso erradamente. O Círio tem o objetivo de oferecer a todos a luz que dissipa toda treva, ou seja, o próprio Jesus que vence a morte”, explicou o padre Aureliano Gondim membro da Pastoral Diocesana da Liturgia.

Seminarista Edmo desenhando em um círio. (Foto: Arquivo Pessoal)

A dinâmica de espiritualidade presente neste símbolo litúrgico é tão grande que atrai pessoas a confeccioná-lo, não só como um objeto, mas como um meio orante. Este é o caso do seminarista do terceiro ano de filosofia do Seminário Diocesano São José, o Edmo Galvão, que há dois anos fez do interesse por artesanato e artes gráficas uma forma de contribuir com a vivencia litúrgica da Igreja. “Só de saber que eu estou fazendo o trabalho de confeccionar um símbolo tão importante me sinto feliz. Fico satisfeito em ver meu trabalho numa Igreja”, disse.

Edmo demora em média três horas para desenvolver a arte em cada Círio e a paixão por este trabalho é tão grande que ele faz questão conciliar os estudos com esta atividade.

Mas você pode estar se perguntando: E após os cinquenta dias da Páscoa, o que fazer com o círio? Bom, segundo as explicações do padre Aureliano, ao acabar este tempo litúrgico o círio deve ser colocado ao lado da pia batismal, para ser utilizado durante as celebrações do batismo representando a luz de Cristo que quer tocar as nossas vidas.

Fonte: www.diocesedecrato.org
Última atualização: 18/04/2017 às 08:55:42
 
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Comente este artigo

Nome:
Nome é necessário.
E-mail:
E-mail é necessário.E-mail inválido.
Comentário:
Comentário é necessário.Máximo de 500 caracteres.
código captcha
Código necessário.
 

Comentários

Seja o primeiro a comentar.
Basta preencher o formulário acima.

Rua Felino Barroso, 405 -  Bairro de Fátima  •  CEP: 60050-130  •  Fortaleza - CE
Caixa Postal 126 / 60001-970  •  Fone/Fax: (85) 3252-4046

  www.igenio.com.br